A caminho do Brasil, nova Renault Alaskan deve turbinar segmento

3
22622

O segmento de pickups no Brasil está prestes a receber uma novidade de peso nos próximos anos, resultante da sólida parceria entre a Nissan e a Renault. O fruto mais esperado dessa colaboração é a nova pickup Renault Alaskan, que promete agitar o mercado brasileiro.

Renault Alaskan Concept / Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)
Renault Alaskan Concept / Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)

A Aliança que Traz Inovação

A Renault e a Nissan têm construído uma aliança global sólida, unindo forças em diversos projetos. Assim, desde veículos convencionais até picapes, compartilham motores, câmbios e plataformas. Essa cooperação estratégica permitirá a chegada da aguardada Renault Alaskan ao Brasil, produzida na Argentina e compartilhando a mesma plataforma da Nova Nissan Frontier.

Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)
Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)

O notável crescimento do mercado de picapes no Brasil foi determinante para despertar o interesse da gigante francesa em oferecer uma opção robusta nesse segmento. A nova Alaskan, derivada dessa colaboração internacional, certamente chegará com atributos que a destacarão entre as concorrentes.

Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)
Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)

Um Novo Conceito de Pickup

Antes de sua estreia no Brasil, a Renault Alaskan passará por uma significativa reestilização, conduzida pelo talentoso time brasileiro de design e engenharia. Dessa forma, este facelift, que ostenta status de nova geração, tem como objetivo transformar a Alaskan em uma pickup robusta, pronta para competir de igual para igual com as líderes do segmento.

Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)
Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)

Com essa revitalização, a previsão é de que a nova Alaskan desembarque em terras brasileiras equipada com um propulsor M9T turbodiesel, importado da França. Este motor 2.3 quatro-cilindros em linha, com 16 válvulas, oferece duas variantes de potência: turbo único, com 160 cv de potência e 41,4 kgfm de torque (dCi 160); e biturbo, com 190 cv e 45,9 kgfm (dCi 190). Ademais, esta última configuração surge como a opção mais provável para o mercado brasileiro, consolidando a Alaskan como uma escolha bacana no cenário das pickups.

Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)
Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)

Especificações e Dimensões

Com expectativa de dimensões imponentes, a nova pickup Alaskan se destaca com 5.318 mm de comprimento, 3.150 mm de entre-eixos, 1.850 mm de largura e 1.815 mm de altura. Exclusivamente disponível com cabine dupla, a Alaskan oferecerá uma capacidade de carga impressionante, variando entre 1.040 kg e 1.115 kg, dependendo da versão e motorização escolhidas. O peso em ordem de marcha, por sua vez, oscilará entre 1.920 kg e 2.075 kg. Essas características prometem posicionar a Alaskan como uma opção robusta e versátil no mercado de pickups.

Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)
Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)

Estilo imponente

A Renault Alaskan atual tem um estilo imponente, inspirado nos modelos mais recentes da marca. Destacam-se os faróis duplos de LED com luzes diurnas envolventes, seguindo o padrão de design atual da fabricante francesa, além da grade com frisos cromados e elementos estilizados. O para-choque, robusto e com a parte central rebaixada devido à grade, apresenta molduras laterais com faróis de neblina embutidos, que possuem acabamento cromado. Um protetor central inferior reforça a impressão de um SUV quando visto de frente, alinhando-se ao estilo da marca, voltado principalmente para carros de passeio.

Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)
Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)

Trajetória da Renault Alaskan

A Renault Alaskan é uma peça única na linha da fabricante francesa, sendo a primeira pickup média produzida pela Renault. Apresentada ao público em sua versão de produção na Colômbia, em julho de 2016, a Alaskan conquistou espaço em países da América do Sul e África. Por alguns anos, também chegou a ser comercializada no mercado Europeu, mas como a Europa parece não nutrir muita paixão por pickups, ela acabou sendo descontinuada por lá. Sua trajetória de sucesso a levou à segunda geração, lançada na Argentina.

Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)
Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)

Próximos Passos

Enquanto a Renault Alaskan não chega oficialmente ao Brasil, os consumidores podem aguardar ansiosos por uma pickup que promete inovação, robustez e desempenho. Com a parceria entre Nissan e Renault, a Alaskan se destaca como um exemplo da colaboração internacional na indústria automotiva e deve proporcionar ao consumidor nacional uma opção interessante de pickup.

Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)
Foto projeção: Kleber SIlva (KDesignAG)

Conclusão

A aliança estratégica entre a Renault e a Nissan representa um marco significativo na indústria automotiva, sobretudo no segmento de pickups. Com dimensões imponentes e design renovado, a Alaskan está prestes a chegar ao Brasil para competir de igual para igual com as líderes do setor. Agora, cabe aos entusiastas automotivos aguardar ansiosos pela chegada dessa nova opção, resultado de uma parceria internacional que promete impulsionar ainda mais o segmento.

3 COMENTÁRIOS

  1. A pergunta é: esse motor aguenta a gororoba que é o “diesel” brasileiro? Ctz que não, agora, se lançassem uma versão flex eu seria um forte candidato a ter uma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui