A Lenda Viva: VW Parati Turbo 2002, Um Clássico Intacto

1
11068

Desde seu lançamento em 1982, a Volkswagen Parati conquistou os corações dos brasileiros, tornando-se uma verdadeira lenda nacional. Derivada do Gol, essa perua conquistou seu espaço no mercado automotivo brasileiro, destacando-se pela sua versatilidade, confiabilidade e, claro, seu design marcante.

VW Parati Turbo 2002 / Foto: Reginaldo de Campinas
VW Parati Turbo 2002 / Foto: Reginaldo de Campinas

Uma Relíquia Automotiva

Recentemente, Reginaldo de Campinas surpreendeu os entusiastas automotivos ao apresentar um exemplar raro e incrivelmente preservado da VW Parati Turbo, fabricada no ano de 2002. Com suas 4 portas, cor vermelha vibrante e câmbio manual, este exemplar representa não apenas um veículo, mas sim um pedaço da história automobilística brasileira.

VW Parati Turbo 2002 / Foto: Reginaldo de Campinas
VW Parati Turbo 2002 / Foto: Reginaldo de Campinas

O que torna este exemplar ainda mais especial é o fato de que, mesmo após 22 anos desde sua saída da linha de montagem da VW, a Parati Turbo mantém-se praticamente “zero quilômetro”. Com meros 10 mil quilômetros rodados, essa perua preserva toda a sua autenticidade e originalidade, transportando seus espectadores para uma era dourada do automobilismo brasileiro.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

Um Glimpse do Passado

Ao observarmos de perto este exemplar único da Parati Turbo 2002, somos transportados para uma época em que o Brasil vivia uma explosão de crescimento econômico e desenvolvimento tecnológico. Na estrada, a Parati Turbo representava não apenas um meio de transporte, mas sim um símbolo de status e prestígio.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

Seus detalhes cuidadosamente conservados, desde o interior imaculado até a pintura reluzente, nos lembram de uma era em que a qualidade e a durabilidade eram características intrínsecas dos veículos fabricados pela Volkswagen.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

O Legado Continua

Embora a Parati Turbo 2002 seja uma reminiscência de tempos passados, sua preservação impecável serve como um lembrete da importância de manter viva a história automobilística brasileira. Como uma verdadeira peça de colecionador, este exemplar inspira uma apreciação renovada pelos clássicos automotivos e pelo trabalho artesanal que vai além do mero transporte.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

Enquanto o mundo automotivo continua a evoluir com novas tecnologias e inovações, a Parati Turbo 2002 permanece como um testemunho da excelência atemporal e do compromisso com a qualidade que transcende gerações. É um lembrete de que, mesmo em um mundo em constante mudança, algumas coisas, como um clássico bem preservado, nunca saem de moda.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

Especificações

A VW Parati Turbo 2002 apresenta um desempenho notável, com uma aceleração de 0 a 100 km/h em 9,8 segundos e uma velocidade máxima atingindo os 191 km/h. A transmissão é caracterizada por uma embreagem monodisco a seco e um câmbio manual de 5 marchas, com tração dianteira.

Sob o capô, encontramos um motor de 999 cm³, com alimentação por injeção multiponto e aspiração por turbocompressor. Este motor de 4 cilindros em linha, identificado pelo código EA111, oferece uma potência máxima de 112 cv a 5500 rpm e um torque máximo de 15,8 kgfm a 2000 rpm. Além disso, as especificações técnicas incluem uma disposição longitudinal, com tuchos hidráulicos e 4 válvulas por cilindro.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

Quanto às dimensões, ela possui 1455 mm de altura, 4131 mm de comprimento e 1621 mm de largura, com um peso total de 1061 kg. O porta-malas comporta até 437 litros, enquanto o tanque de combustível tem capacidade para 51 litros. Os pneus são do tipo 185/60 R14, tanto para os dianteiros quanto para o estepe e os traseiros.

A direção conta com assistência hidráulica e um diâmetro mínimo de giro de 10,4 metros, proporcionando manobras precisas. Na suspensão, destaca-se a configuração dianteira independente do tipo McPherson, com molas helicoidais, e a traseira com eixo de torção.

Quanto aos freios, o veículo apresenta discos ventilados na dianteira e tambores na traseira, garantindo uma frenagem eficiente. Em termos de autonomia, é capaz de percorrer 658 km em rodovias e 332 km em áreas urbanas. Assim, em relação ao consumo, atinge uma média de 12,9 km/l em rodovias e 6,5 km/l em áreas urbanas.

VW Parati Turbo 2002 / Foto: Reginaldo de Campinas
VW Parati Turbo 2002 / Foto: Reginaldo de Campinas

Conclusão

A Volkswagen Parati Turbo 2002, com seus impressionantes 22 anos de idade e apenas 10 mil quilômetros rodados, continua a encantar entusiastas automotivos e colecionadores. Mais do que apenas um carro, ela é uma cápsula do tempo, transportando-nos para uma era de glória automobilística no Brasil.

Enquanto nos maravilhamos com sua beleza intemporal e sua condição quase imaculada, também somos lembrados da importância de preservar e honrar o legado dos clássicos automotivos. Ademais, a Parati Turbo 2002 é mais do que uma peça de metal e plástico; é um símbolo de dedicação, paixão e um elo vital entre o passado e o presente.

1 COMENTÁRIO

  1. Meu pai tem uma Parati g3 2001 plus cinza titânio toda original e bem conservada também, único dono. Carro confortável para viajar e muito espaço, 4 porta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui