Santana Quantum 0km Guardado por 27 Anos Brilha em 2024

2
104421

Produzido entre 1985 e 2003, o Santana Quantum foi um dos carros da Volkswagen no Brasil mais icônicos de todos os tempos. Com seu design robusto e confiável, o Santana conquistou o coração de muitos brasileiros e se tornou uma verdadeira lenda nas estradas do país.

Santana Quantum 1997 / Foto: Reginaldo de Campinas
Santana Quantum 1997 / Foto: Reginaldo de Campinas

Uma Descoberta Extraordinária

Por ser um carro colecionável, ainda existem muitos exemplares do Santana Quantum muito bem preservados no país. No entanto, nenhum se equipara ao Santana Quantum 1997 recentemente descoberto por Reginaldo de Campinas, um dos principais caçadores de raridades automotivas do Brasil.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

Guardado por 27 anos, o carro segue 0 km em pleno 2024. Além disso, sua história é peculiar e fascinante. Ele permaneceu guardado por décadas em uma antiga concessionária na cidade de Estrela, no Rio Grande do Sul. A revendedora fechou as portas em 2001, e o proprietário decidiu preservar alguns carros 0 km, incluindo o Santana Quantum desta reportagem.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

Recentemente, o carro foi levado para São Paulo por Reginaldo de Campinas, onde atraiu a atenção de entusiastas de carros clássicos e colecionadores de todo o país após ter imagens reveladas.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

Santana Quantum – Especificações

O Santana Quantum 1997 é equipado com um motor dianteiro de 4 cilindros, 1.984 cc de cilindrada, alimentado por injeção eletrônica multiponto. Ele produz uma potência máxima de 112 CV a 5.600 rpm e um torque máximo de 17,6 kgfm a 3.000 rpm. Com uma taxa de compressão de 10:1, o Santana Quantum oferece um desempenho respeitável, acelerando de 0 a 100 km/h em 12,3 segundos e atingindo uma velocidade máxima de 180 km/h.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

Em termos de eficiência, ele oferece um consumo de 7,9 km/l na cidade e 12,3 km/l na estrada, proporcionando uma autonomia de até 886 km. Sua transmissão manual de 5 marchas e embreagem monodisco a seco garantem uma experiência de condução precisa e controlada, enquanto sua tração dianteira oferece uma dirigibilidade confiável.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

A suspensão dianteira é independente, do tipo McPherson, enquanto a traseira tem eixo de torção, ambos utilizando molas helicoidais como elemento elástico. Os freios dianteiros, com discos ventilados, proporcionam uma excelente capacidade de frenagem, enquanto os freios traseiros são tambores.

Santana Quantum 1997 / Foto: Reginaldo de Campinas
Santana Quantum 1997 / Foto: Reginaldo de Campinas

A direção hidráulica oferece uma condução suave, com um diâmetro de giro de 11,2 metros, tornando as manobras mais fáceis em espaços apertados. Em termos de dimensões, o Santana Quantum possui 4.637 mm de comprimento, 1.449 mm de altura e 1.700 mm de largura, com um entre eixos de 2.550 mm. Seu peso é de 1.210 kg, e possui um porta-malas espaçoso de 470 litros, com capacidade de carga útil de 460 kg. Ademais, o tanque de combustível tem capacidade para 72 litros, garantindo longos períodos entre os abastecimentos.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

O VW Santana no Brasil

O Volkswagen Santana teve uma história interessante no Brasil. Lançado em 1984, ele foi uma versão mais luxuosa e espaçosa do Volkswagen Passat, oferecendo um design mais sóbrio e uma gama de motores mais potentes. Assim, foi muito bem recebido no mercado brasileiro devido ao seu conforto, espaço interno e confiabilidade mecânica.

O Santana foi produzido no Brasil pela Volkswagen por muitos anos. Durante os anos 80 e 90, ele foi um dos carros de luxo mais populares no país, sendo escolhido por muitos como táxi devido à sua durabilidade e baixo custo de manutenção.

Santana Quantum 1997 / Foto: Reginaldo de Campinas
Santana Quantum 1997 / Foto: Reginaldo de Campinas

A Volkswagen encerrou a produção do Santana no Brasil em 2006, optando por focar em modelos mais recentes e em linha com as demandas do mercado atual. No entanto, o Santana deixou um legado significativo como um carro confiável e resistente, que serviu a muitos proprietários e motoristas por décadas.

Conclusão

Esse Volkswagen Santana Quantum 0 km guardado por 27 anos é mais do que um carro clássico – é um tesouro automotivo que captura a essência da história automobilística nacional. Além disso, sua descoberta e preservação são testemunhos da paixão e dedicação dos entusiastas de carros clássicos em todo o país. Em um mundo onde o tempo muitas vezes é implacável com os veículos, o Santana Quantum de 1997 revelado por Reginaldo de Campinas prova que a verdadeira qualidade e beleza resistem ao teste do tempo.

2 COMENTÁRIOS

  1. Vi esta semana, na concessionária Rumo Norte da Chevrolet, em São Paulo, um Celta, 2002/2003, único dono, praticamente o tempo todo só na garagem. 1200 km apenas.
    Uma raridade. Acreditei porque está a venda numa concessionária.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui