Uma incrível Opala Diplomata 1991 e seus 15 mil km rodados

2
72141

O Chevrolet Opala, um ícone da indústria automotiva brasileira, continua a conquistar admiradores mesmo décadas após o encerramento de sua produção. Entre os entusiastas de carros clássicos, o Opala é reverenciado como um símbolo de respeito e elegância sobre quatro rodas. E quando uma raridade como o Opala Diplomata 1991 com meros 15 mil quilômetros rodados surge, é difícil não se impressionar.

Chevrolet Opala Diplomata 4.1/S 1991 / Foto: Reginaldo de Campinas
Chevrolet Opala Diplomata 4.1/S 1991 / Foto: Reginaldo de Campinas

O achado

Reginaldo de Campinas, conhecido por sua habilidade em encontrar preciosidades automobilísticas, surpreendeu novamente ao revelar sua mais recente descoberta: um Opala Diplomata 4.1/S 1991 praticamente intocado pelo tempo. Em um mercado onde encontrar um Opala em boas condições é cada vez mais raro, este exemplar se destaca não apenas pela sua beleza, mas também pela sua excepcional conservação.

Chevrolet Opala Diplomata 4.1/S 1991 / Foto: Reginaldo de Campinas
Chevrolet Opala Diplomata 4.1/S 1991 / Foto: Reginaldo de Campinas

Um clássico em estado de fábrica

Apesar de seus 33 anos de idade, este Opala Diplomata parece ter saído diretamente da linha de produção. Com sua cor prata reluzente e o icônico motor 4.1/S, este sedã de quatro portas mantém-se fiel à sua originalidade em todos os aspectos.

Chevrolet Opala Diplomata 4.1/S 1991 / Foto: Reginaldo de Campinas
Chevrolet Opala Diplomata 4.1/S 1991 / Foto: Reginaldo de Campinas

Cada detalhe, desde o acabamento interior até a mecânica sob o capô, reflete o cuidado e a dedicação de seus proprietários ao longo dos anos. Assim, sua performance inigualável proporciona uma experiência de condução única.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

O encanto dos clássicos

Para os entusiastas da marca Chevrolet, o Opala é mais do que apenas um carro; é um símbolo de uma era passada, uma época em que a paixão pela condução se fundia com o orgulho nacional da indústria automotiva brasileira.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

Ver um Opala Diplomata tão bem preservado é como fazer uma viagem no tempo, lembrando-nos dos dias em que esses carros dominavam as estradas do país. Além disso, sua presença ainda hoje desperta admiradores por onde passa.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

Especificações

O Opala Diplomata 4.1/S de 1991 é um veículo que combina desempenho e características técnicas notáveis. Assim, no que diz respeito ao desempenho, o carro atinge uma aceitável aceleração de 0 a 100 km/h em 12 segundos, com uma velocidade máxima que ultrapassa os 169 km/h.

Seu motor, de 4093 cm³ de cilindrada, é equipado com um carburador e possui uma configuração de 6 cilindros em linha. Produz uma potência máxima de 121 cavalos a 3800 rpm, com um torque máximo de 29 kgfm a 2000 rpm. Ademais, a relação peso/potência é de 11,4 kg/cv e a relação peso/torque é de 47,4 kg/kgfm. O motor utiliza tuchos hidráulicos e tem 2 válvulas por cilindro.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

A transmissão é manual, com 5 marchas, e a tração é traseira. As dimensões do veículo incluem um comprimento de 4847 mm, uma largura de 1766 mm e uma altura de 1384 mm, com uma distância entre-eixos de 2667 mm. Além disso, o peso do carro é de 1376 kg e o porta-malas tem capacidade para 376 litros. O tanque de combustível comporta 91 litros.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

Os pneus têm medidas 195/65 R15 tanto na frente quanto na traseira, incluindo o estepe. A direção é assistida hidraulicamente, com um diâmetro de giro de 9,7 metros.

A suspensão dianteira é independente, com braços sobrepostos e molas helicoidais, enquanto a traseira possui um eixo rígido. O sistema de freios conta com discos ventilados na frente e discos sólidos na traseira.

Foto: Reginaldo de Campinas
Foto: Reginaldo de Campinas

Quanto à autonomia, o veículo tem uma capacidade rodoviária de aproximadamente 865 km com um consumo de 9,5 km/l, e uma autonomia urbana de cerca de 637 km, com um consumo de 7 km/l.

Conclusão

O Opala Diplomata 1991 com apenas 15 mil km rodados é muito mais do que um veículo antigo bem conservado; é uma cápsula do tempo, um testemunho da dedicação dos entusiastas em preservar a história automotiva brasileira. Enquanto o tempo avança e os carros modernos ocupam nossas ruas, é reconfortante saber que há aqueles que mantêm viva a chama dos clássicos, permitindo-nos apreciar e celebrar a beleza intemporal de máquinas como o Opala Diplomata.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui