O Puma GTI 1981 e Sua Jornada Transcontinental

0
8102

Ao longo de duas décadas, o Puma conquistou o coração dos brasileiros, especialmente nas décadas de 70 e 80. Esse carro nacional não apenas ganhou reconhecimento no Brasil, mas também se destacou internacionalmente, com diversas unidades exportadas para diferentes partes do mundo. Um exemplar emblemático dessa trajetória é o Puma GTI 1981, que, após uma incrível jornada, encontrou seu lar no Canadá antes de chegar aos Estados Unidos.

Puma GTI 1981 / Foto: Art.Johnson
Puma GTI 1981 / Foto: Art.Johnson

Uma História de Restauração e Transformação

Produzido pela Puma Automóveis, este Puma GTI de 1981 é uma das aproximadamente 929 unidades fabricadas para o ano do modelo. Além disso, entregue originalmente em Ontário, Canadá, o carro passou por um meticuloso processo de restauração em 2011. Segundo relatos do dono, a restauração incluiu o refinamento da carroceria de fibra de vidro, a renovação do interior em preto, a rewiragem completa do veículo e a revisão minuciosa da suspensão e dos freios.

Puma GTI 1981 / Foto: Art.Johnson
Foto: Art.Johnson

A Jornada Além das Fronteiras

Após a restauração, o Puma GTI cruzou novamente as fronteiras; consequentemente, um entusiasta americano o adquiriu em 2016. Durante essa transição para os Estados Unidos, o carro passou por uma significativa transformação mecânica. Nesse processo, um motor plano de quatro cilindros da Volkswagen, com 2.3 litros, foi instalado, proporcionando uma nova camada de potência e desempenho.

Puma GTI 1981 / Foto: Art.Johnson
Foto: Art.Johnson

Detalhes Exclusivos e Equipamentos Adicionais

Além da mecânica aprimorada, o Puma GTI 1981 possui uma lista impressionante de equipamentos. Adicionalmente, destaca-se uma transmissão manual de quatro marchas, carburadores duplos Weber, rodas Scorro de 14 polegadas, freios a disco dianteiros, teto solar e um sistema de som Blaupunkt, sendo apenas alguns dos detalhes que fazem deste exemplar único.

Puma GTI 1981 / Foto: Art.Johnson
Foto: Art.Johnson

Puma GTI – Restauração e Personalização Estética

A carroceria de fibra de vidro do Puma GTI, construída sobre um chassi Volkswagen Brasília, recebeu atenção especial. Além disso, a Elite Fiberglass & Marine, de Peterborough, Ontário, realizou a restauração e repintura em verde, conferindo ao carro uma estética vibrante e única. Detalhes como um distintivo Puma GT 2.3, teto solar, espelho esquerdo e uma saída de escape singular acrescentam personalidade ao veículo.

Puma GTI 1981 / Foto: Art.Johnson
Puma GTI 1981 / Foto: Art.Johnson

Interior Renovado e Marcas do Tempo

O interior foi completamente renovado durante a restauração, com a adição de material de isolamento acústico. Além disso, bancos concha revestidos em vinil preto, uma prateleira traseira forrada de carpete, extintor de incêndio e um sistema de som Blaupunkt proporcionam conforto e estilo. No entanto, algumas marcas do tempo, como uma rachadura no painel, acrescentam charme e autenticidade.

Interior do Puma GTI 1981 / Foto: Art.JohnsonFoto: Art.Johnson
Interior do Puma GTI 1981 / Foto: Art.JohnsonFoto: Art.Johnson

A Performance nas Estradas

Sob o capô, o motor plano de 2.3 litros, equipado com carburadores duplos Weber, destaca-se. Além disso, a potência é entregue às rodas traseiras por meio de uma transmissão manual de quatro marchas, garantindo uma experiência de condução autêntica e emocionante.

Foto: Art.Johnson
Foto: Art.Johnson

Puma Automóveis

O legado da Puma Automóveis teve origem com o protótipo de pista desenvolvido por Rino Malzoni em sua fazenda em Matão/SP. Com o apoio da Vemag, o esportivo, inicialmente chamado GT Malzoni, contava com motor DKW dianteiro e participou de competições, levando à fundação da Sociedade de Automóveis Lumimari Ltda. Posteriormente, em 1966, a empresa alterou seu nome para Puma e transformou-se em Puma Veículos e Motores Ltda., visando a produção de modelos para as ruas. Nesse contexto de transformação, o Puma GT, apresentado no Salão do Automóvel em 1966, marcou essa transição, recebendo modificações estéticas e técnicas. Além disso, essa evolução simbolizou um importante passo para consolidar a presença da marca no mercado automotivo.

Com o encerramento das atividades da Vemag em 1967, a Puma se viu sem fornecedor de motor e chassis. Rino Malzoni, então, retomou um projeto de carro de corrida, resultando no Puma GT VW. Utilizando o conjunto mecânico traseiro de 1500 cm3 da VW e chassis do Karmann-Ghia, o modelo tornou-se o mais bem-sucedido da marca. Posteriormente, a empresa desenvolveu vários modelos como: GT4R, GTE, Spider, GTB, GTS, GTB S2, GTC e GTI.

Foto: Art.Johnson
Foto: Art.Johnson

Em 1980, a Puma realizou uma significativa restilização no modelo GTE, rebatizando-o como GTI, enquanto renomeou a versão conversível GTS para GTC. A partir do modelo GTI, a Puma começou a oferecer teto solar como opcional, fabricado pela Karmann-Ghia, embora tenha sido mais comumente utilizado em modelos destinados à exportação. Essas alterações refletiram uma evolução notável no design e nas opções de personalização dos veículos da Puma.

Ficha Técnica do Puma GTI 1981 em destaque

  • Quilometragem: 51.000 km
  • Motor: VW Plano de 2.3L com Quatro Cilindros
  • Transmissão: Manual de 4 Marchas
  • Chassi: Volkswagen
  • Carroceria: Fibra de Vidro
  • Pintura: Verde
  • Estofamento: Vinil Preto
  • Rodas: Scorro de 14 Polegadas
  • Freios: Discos na Frente
  • Recursos Especiais: Teto Solar, Sistema de Som Blaupunkt
Foto: Art.Johnson
Foto: Art.Johnson

Conclusão: Uma Jornada Impressionante

Este Puma GTI 1981 é mais do que um carro; é uma narrativa viva de uma jornada que atravessou continentes, passou por restaurações minuciosas e agora está pronto para encantar novos entusiastas nos Estados Unidos. Além disso, com um histórico documentado, equipamentos adicionais e um título limpo da Pensilvânia, este exemplar é um testemunho do amor duradouro pelos clássicos automotivos independente de nacionalidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui