Rabbit: A Pequena Pickup da VW que Não Chegou ao Brasil

0
4874

Em 1979, em meio à crise do petróleo nos Estados Unidos, a Volkswagen decidiu inovar ao lançar a Rabbit Pickup. Derivada do Golf, essa picapinha compacta que carregava alguns traços da Saveiro dos anos 80 vendida aqui no Brasil, logo se tornou uma opção acessível e prática para os consumidores americanos.

VW Rabbit pickup / Foto: DenWerks
VW Rabbit pickup / Foto: DenWerks

Produção e Modelos Disponíveis

A produção da Rabbit Pickup ocorreu na fábrica de montagem da Volkswagen em Westmoreland, na Pensilvânia, durante o período de 1978 a 1984. Durante esses anos, era possível escolher entre dois níveis de acabamento: LX e Sportruck. Além disso, essa diversidade de opções oferecia aos consumidores uma gama de escolhas personalizadas para atender às suas preferências individuais, o que acabou alavancando a popularidade da pickup no norte do continente.

Foto: DenWerks
Foto: DenWerks

Desempenho e Eficiência

Nos Estados Unidos, a Rabbit Pickup oferecia duas opções de motorização. Além disso, os consumidores podiam optar por um motor diesel de 1,6 litros, capaz de gerar 52 cavalos de potência, ou por um motor a gasolina de 1,7 litros, proporcionando 78 cavalos de potência (58 kW).

VW Rabbit pickup / Foto: DenWerks
VW Rabbit pickup / Foto: DenWerks

Uma característica única do modelo a diesel era a presença de uma caixa de câmbio de cinco marchas, e, com a quinta marcha marcada como “Economia”, ostentando uma relação de 0,76:1. Essa escolha de design refletia o compromisso da Volkswagen com a necessidade de eficiência energética na época.

Foto: DenWerks
Foto: DenWerks

Além disso, é interessante notar que o modelo a diesel alcançava uma impressionante eficiência de 17,34 km/L, demonstrando o cuidado da Volkswagen em proporcionar não apenas opções de motorização, mas também um desempenho eficiente para os consumidores.

VW Rabbit pickup / Foto: DenWerks
VW Rabbit pickup / Foto: DenWerks

No que diz respeito ao consumo de combustível, a Rabbit Pickup mostrou-se econômica em ambas as opções de motorização. O modelo a gasolina, com transmissão manual de quatro marchas, apresentou uma média de 9,75 km/L e 13,61 km/L em ciclos cidade/estrada. Já o diesel de cinco marchas alcançou impressionantes 17,34 km/L a 22,98 km/L. Em testes específicos, o diesel sem carga, dirigido a 56 km/h na quinta marcha, surpreendeu com uma eficiência impressionante de 24,48 km/L, mesmo que a eficiência diminuísse para 16,53 km/L a 89 km/h.

Foto: DenWerks
Foto: DenWerks

Praticidade e Versatilidade

A praticidade da Rabbit Pickup não se limitava apenas ao consumo de combustível. Além disso, com uma largura máxima de 64,4 polegadas (1.640 mm) na parte interna da caçamba e uma carga útil classificada em 500 kg, a picapinha da Volkswagen mostrava-se versátil e capaz de atender às necessidades do dia a dia. Essa combinação de eficiência no consumo e capacidade de carga a tornava uma opção especialmente atrativa para aqueles que buscavam um veículo versátil e funcional.

VW Rabbit pickup / Foto: DenWerks
VW Rabbit pickup / Foto: DenWerks

Lançamento Internacional

Os primeiros exemplares da Rabbit Pickup chegaram aos Estados Unidos no final de 1979, marcando oficialmente o início do ano modelo de 1980. Embora o lançamento tenha sido um pouco atrasado em relação ao planejado para a primavera de 1979, a picape logo conquistou o gosto popular e se tornou um sucesso nas estradas americanas.

VW Rabbit pickup / Foto: DenWerks
VW Rabbit pickup / Foto: DenWerks

Curiosamente, a Volkswagen lançou a mesma picape na Europa sob o nome de Caddy três anos após sua estreia nos Estados Unidos. Um detalhe estético interessante é que, enquanto a Rabbit Pickup na América do Norte apresentava faróis retangulares, o restante do mundo recebeu faróis redondos.

Na época, a Rabbit Pickup competia com picapes que cresceram ao longo do tempo, como a Ford Courier, Toyota Hilux e Dodge Rampage.

VW Rabbit pickup / Foto: DenWerks
Foto: DenWerks

Conclusão

Dessa forma, a Volkswagen Rabbit Pickup não apenas respondeu eficazmente à crise dos combustíveis, mas também se destacou como uma opção inovadora e versátil no cenário automotivo da sua época. Ao transcender as expectativas convencionais, ela se tornou um símbolo duradouro da capacidade da Volkswagen de se reinventar quando necessário. O legado dessa picapinha compacta persiste como um testemunho da engenhosidade da marca, continuando a ser lembrada como um ícone nos dias atuais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui